Converter maquinas fisicas Linux para VmWare Esxi

 

Conversão de Ubuntu para VmWare

 

 

 

 

 

A pedido de várias famílias deixamos aqui um pequeno tutorial sobre como converter maquinas físicas (Ubuntu, por exemplo), com ou sem ambiente gráfico, para uma infraestrutura VMware vSphere  Hypervisor™ ESXi (gratuita).

Para este exemplo foram usadas as versões VMware vSphere Hypervisor™ (ESXi) 5.0 como InfraEstrutura e VMware vCenter Converter Standalone 5.0  para Windows para  instalação numa máquina qualquer da rede (usámos a versão windows pelo simples facto de já estar instalada numa máquina de testes!).

Convém não esquecer que é a partir da versão “Cliente” que se gerem todas as conversões/migrações.

Existe uma diferença fundamental em termos de conversão de máquinas físicas Windows e Linux, que é essencialmente o facto de em Windows ser necessário instalar um “agente” de conversão e em Linux não. No entanto há que garantir alguns aspetos na conversão da máquina física Linux.

Explicação prévia – Principais diferenças:

>>Máquina física Windows

É necessária a instalação do “agente” na máquina física a converter e a versão “cliente” e “servidor”  num PC qualquer da rede (Windows ou Linux).

 

>>Máquina física Linux

A versão “Cliente”,  ”Agente” e “servidor” têm que ser instaladas na maquina que vai gerir a conversão (um pc qualquer da rede, com Windows ou Linux)

Em conversões Linux, nenhum “agente” é implantado na máquina de origem. Em vez disso, uma máquina virtual auxiliar é criada e implantada na infraestrutura destino ESX/ESXi. A fonte de dados é então copiado da máquina de origem Linux para a máquina auxiliar virtual através de SSH.

 

Após a conversão estar concluída, a máquina virtual auxiliar é desligada e ao ser iniciada de novo, será já a máquina virtual convertida!

 

1- Download e instalação do VMware vCenter StandAlone Converter

O primeiro passo é aceder à página de download do VMware vCenter Converter StandAlone: http://www.vmware.com/products/converter

Claro que é necessário fazer o registo para descarregar a correspondente versão (gratuita), em função do Sistema Operativo onde vai ser instalado o “agente” e/ou “cliente” e/ou “servidor” ( descarregar e instalar tudo num pc, Windows ou Linux :) ).

No Windows é um executável.
No Linux, para quem gosta da linha de comandos, será algo como:

Depois de descarregar a aplicação, deve transferi-la para a maquina em causa, executar os seguintes comandos:

$ tar -xzvf VMware-converter-xxxxxxxxx.tar.gz

Note que a versão pode mudar dependendo da data em que fez o download, por  isso os xxxxxxxxx.
Entre no diretório dos arquivos já descompactados e execute o instalador

$ cd vmware-converter-distrib
$ sudo  ./vmware-install.pl

 

Após este comando serão mostradas as notas de copyright, a licença de utilizador final e algumas opções em que podem ser usadas as padrões na maioria dos casos. No entanto nunca deixar de ler com atenção cada opção para ver se ela se enquadra no seu sistema.

2- Preparação da máquina física Linux para a conversão

ATENÇÃO:
Há outras formas, mas para conseguir aceder à máquina Linux pelo software “cliente” por ssh, aquando da conversão, tem que ativar a conta de root (criar uma password) que deve retirar no fim, por questões de segurança.

Comandos para ativar e desativar a password de root:

$sudo passwd root
$sudo passwd -l root

 

Deve ainda garantir que a porta 22, 80, 443 (902 e 903 também) não estão bloqueadas na maquina física.

3- Conversão da máquina física em virtual

Após entrada na maquina fisica, garantir que:
– O serviço ssh está ativo
– A conta de root está ativada (com password)
root  pode fazer ssh para a máquina

1- Garantir que root consta no ficheiro /etc/sudoers

$sudo vi /etc/sudoers
root   ALL=(ALL) ALL

 2- Garantir que root pode fazer ssh

$sudo vi /etc/ssh/sshd_config

  encontrar o parâmetro PermitRootLogin e colocar a yes

PermitRootLogin yes

 gravar o ficheiro e reiniciar o serviço sshd

$ sudo /etc/init.d/ssh restart

 

Após estes passos é só configurar no software cliente as caracteristicas da máquina fisica a virtualizar, e esperar…

Testámos com 1 núcleo de 4 cores e a conversão deu-se sem problemas.

Ecran1: Conexão à máquina Física com as credenciais de root da mesma

 Atenção que pode ser necessário definir a determinada altura do processo, o endereçamento da maquina virtual “auxiliar”, da mesma gama da máquina “cliente”.

Ecran 2: Endereçamento da máquina “Auxiliar”.

Nota: Endereçamentos ficticios. Caso haja serviço de DHCP esta etapa pode não ser necesssária

4- Verificações finais

É bem provável que após a conversão apareçam duplicadas as interfaces de rede no ficheiro /etc/networking/interfaces  pelo que deve edita-lo e fazer a correspondência com o mesmo ficheiro na máquina física e reiniciar a rede:

$sudo /etc/init.d/networking restart

 

E pronto, se tudo correr bem, a máquina estará convertida e pronta para arrancar.

Não esquecer de desativar a password de root de novo, por questões de segurança:

$sudo passwd -l root

 

Esperamos ter ajudado

Testado e a funcionar!

Deixe uma resposta